Declarações do ministro Paulo Guedes são um desserviço ao País

O ministro da Economia, Paulo Guedes, em mais uma clara demonstração de desserviço ao País, comparou o Servidor público a um militante político. O rompante ocorreu em audiência pública nesta terça (11), na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJC) da Câmara dos Deputados, em sessão que analisou a admissibilidade da Proposta de Emenda Constitucional n° 32/2020 (Reforma Administrativa). Ouvimos a repetição de uma cena que tem se tornado muito comum: o desejo do ministro de responsabilizar o Servidor pelos males deste e de todos os governos anteriores.

Poderíamos, assim como outros governos, estar abrindo concursos públicos, colocando gente para dentro, para aparelharmos o Estado e termos bastante militantes trabalhando para nós no futuro. Não estamos pensando assim, estamos pensando nas gerações futuras”, afirmou.

Esta não é a primeira pérola de Guedes. Já ouvimos ele nos chamar de parasitas e até sugerir a colocação de uma granada no bolso do funcionalismo. Desta vez, foi adicionada a condição de potencial “militante político” aos Servidores eventualmente aprovados em concurso público. Porém isso é justamente o que irá acontecer se a PEC 32 for aprovada. O trabalhador será “refém” do Governo.

TEM MAIS

Em outra clara declaração de claro preconceito ele dispara mais uma:

Vejam como os Servidores nas democracias avançadas atuam. Vejam o Servidor na Noruega, na Suécia, ele anda de metrô, às vezes, de bicicleta. Ele não tem 20 automóveis, mais 50 Servidores, mais 30 assessores. Não é assim. É algo sempre bem modesto. Não é uma corte. É algo mais modesto, é algo mais meritocrático”, disse.

Na audiência, o deputado Gervásio Maia (PSB-PB) disse que a reforma afeta competências de outros Poderes, a exemplo do Poder Legislativo, ao permitir que o presidente da República possa extinguir órgãos e ministérios por meio de decreto (a famosa “canetada”). Também outro ponto dito por nós desde o começo:

Está no texto da PEC de que o Legislativo não vai mais tratar sobre a estrutura inerente aos Servidores públicos, podendo o presidente da República, com superpoderes, extinguir órgãos como o Ibama e ministérios, e isso não vai mais passar pela casa do povo”, alertou.

ALERTA

Pedimos ao ministro que pare imediatamente a onda de ataques contra o Servidor brasileiro. Ele deveria se preocupar em realizar mais feitos em prol da nação, podendo começar a ver questões urgentes como os preços do gás de cozinha, do combustível, da energia elétrica e do dólar. Enfim, propostas de melhorias concretas para todos. Porém é triste constar no momento que a ação mais sólida defendida pelo ministro Guedes é o puro e simples levante da população contra o funcionalismo.

BASTA!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×